terça-feira, 01 de dezembro de 2020

Em live com liderança nacional do Cidadania23 a líder Indígena Silvana Terena lança candidatura em Campo Grande MS

Capa-site.jpg

Silvana Terena lança candidatura

Em live realizada na última sexta-feira (9), a Liderança Indígena Silvana Terena lançou oficialmente sua candidatura à vereadora pela cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Participou do lançamento dirigentes local do partido entre eles, Márcia Ledesma Coordenadora do Núcleo Mulheres 23 no estado, Athayde Nery presidente municipal, Ricardo Maia presidente estadual da sigla em MS. Da nacional participou Tereza Vitale, coordenadora nacional do M23, a Vereadora Soninha Francine do Cidadania23, candidata à reeleição em São Paulo, o presidente nacional do partido, Roberto Freire entre outros e comunidade local.
Artesã, 45 anos, militante há 12 anos e há 5 esteve à frente da Subsecretaria de Políticas Públicas para População Indígena criada deste de então na gestão estadual. Silvana Terena vê a candidatura como passo necessário e natural para que a população indígena esteja no centro da construção de políticas públicas.
“São 12 anos de caminhada colocando indígenas para sonhar com protagonismo na nossa história política. Foram 5 anos de gestão no governo em que povos indígenas protagonizaram, elaborando o Plano Estadual de Políticas Públicas para a População Indígena. Precisamos ocupar mais os espaços, colocar o índio pra fazer leis que possam contemplar nosso povo. É por direitos que estamos lutando, pra ter voz, agora a voz de mulher”, discursou.

Mato Grosso do Sul tem a segunda maior população Indígena do Brasil com um pouco mais de 80 mil que pertencem à 8 Povo Tradicional do estado, desde média de 15 mil indígenas vivem na capital. Como candidata sempre monta seus comitês dentro da própria comunidade, disse que fez uma opção por representatividade. “Estamos aqui e quero ficar aqui mesmo eleita. É uma satisfação estar junto ao meu povo e mostrar que, se eu consigo, você consegue, nós conseguimos”, explicou.

Quando eleita propõe fazer um mandato coletivo. “De construção, itinerante, que não fique dentro do gabinete, mas vá pra comunidade construir os projetos de interesse do nosso povo”, destacou. Silvana aproveitou a ocasião para elogiar a parceria com o presidente municipal, do Cidadania23, Athayde Nery, que foi vereador por quatro mandatos, e de quem ela foi assessora. “Ele entendeu que nós precisávamos aprender a arte da política e nos ouvia atentamente”, concluiu.

A vereadora do Cidadania e candidata à reeleição em São Paulo, Soninha Francine participou da live e disse compreender quem não gosta de política, mas ponderou que é preciso “amar política” porque ela é que permite a transformação social. Ela disse ter orgulho de dividir a caminhada com Silvana Terena.

“É na política que a gente tem poder. Entrei para ter mais poder do que tinha como jornalista, militante, ativista, poder pra transformar as coisas. E na política a gente não tem poder sozinho, então a gente procura pessoas com quem a gente queira militar junto. E eu tenho muito orgulho de fazer parte da caminhada com Silvana Terena”, elogiou.

Coordenadora do Núcleo Mulheres 23 no estado, Marcia Ledesma disse que a história que o Cidadania quer construir na política passa pelo protagonismo das mulheres: “Queremos construir o protagonismo e ele tem de chegar às mulheres indígenas, negras e ribeirinhas. Silvana tem a força de mãe, avó e mulher indígena”.
Tereza Vitale, coordenadora nacional do M23, foi na mesma linha. “Não só por ser mulher Indígena, mas mulher indígena com a noção de toda a diversidade das mulheres, independentemente de raça, orientação sexual, idade, porque a maior parte dos nossos problemas está na violência contra a mulher, no acesso a mercado de trabalho, no transporte público. E a nossa luta é por todas”, ressaltou.

O Presidente nacional do partido, Roberto Freire, foi deputado constituinte e argumentou que a candidatura de Silvana Terena é uma afirmação de que o avanço da Constituição não ficou apenas na letra da lei. “A grande referência que pode surgir é essa sua vitória aí. A dimensão e a importância de uma representação sua na Câmara Municipal serão imensas para os Povos Indígenas, para os vereadores da capital, para o Cidadania e para a política nacional. Você nos engrandece”, apontou.

 

Ricardo Maia, presidente estadual do Cidadania23 – MS, também sustentou que a candidatura significa que o partido entendeu o momento político que o país está vivendo. “Nada melhor do que a Silvana pra representar a autodeterminação dos Povos Indígenas. Ela representa essa bandeira da cidadania dos povos que foram oprimidos e que estão se colocando na política pra transformar a política e transformar nosso município, nosso estado, nosso pais”, comemorou.

Athayde Nery, presidente municipal do partido em Campo Grande e ex-vereador, também falou da importância da candidatura. “Esse bairro aqui, que abriga o comitê Casa da Cidadania, é o Marçal de Souza, que foi grande liderança guarani e foi assassinado. Silvana mora aqui, no primeiro bairro da comunidade indígena urbana do país, um celeiro de lideranças indígenas. Conseguimos formar aqui o primeiro conselho municipal indígena, a primeira coordenadora indígena foi da Silvana, fizemos o plano municipal. Essa nossa caminhada de formação é algo que estamos colocando na prática. Estamos confiantes na vitória”, finalizou.

Silvana Terena concorre ao cargo de vereadora no município de Campo Grande MS pelo partido Cidadania23. Está na coligação majoritária com o PSD Avançar e Fazer Mais, do então prefeito Marquinhos Trad que concorre à reeleição.

Com informação de Assessoria CIDADANIA23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 6 =

Top