segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Sugestão de Pauta: Pacientes de Campo Grande serão primeiros a contar com centro de reabilitação pós-Covid 100% SUS

WhatsApp-Image-2020-09-21-at-15.09.34.jpeg

Com a estabilidade do número de casos do novo coronavírus e após assegurar desde o início da pandemia o atendimento hospitalar, com a ampliação de 116 para 312 leitos, Campo Grande sai mais uma vez na frente e garante a assistência para reabilitação de pacientes que apresentarem alguma doença residual da Covid-19. O Centro de Referência para Reabilitação, primeiro no país a receber cobertura 100% do Sistema Único de Saúde (SUS), será ativado a partir desta terça-feira (22), na Apae.

O convênio da Prefeitura Municipal com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais foi assinado hoje (21). O ambulatório do Centro Especializado em Reabilitação e Oficina Ortopédica da Apae de Campo Grande/MS (CER/Apae) será responsável pela reabilitação e cuidados paliativos dos sequelados cardiorrespiratórios e neurológicos.

A capacidade de atendimentos será de até 70 pessoas, que passarão por avaliação diariamente. De acordo com a Sesau, em média 13% de pacientes que testaram positivo para a Covid-19 registram algum tipo de doença residual.

A Secretaria Municipal de Saúde cederá um monitor cardíaco para o ambulatório da Apae, que vai abranger cerca de 54% de usuários do SUS da Macrorregião de Campo Grande.
A unidade possui equipe multiprofissional: médico fisiatra (medicina física e de reabilitação), médico cardiologista, médico pediatra, médico neurologista, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, assistente social e fonoaudiólogo (nos casos de traqueostomia para decanulação.

Todos os pacientes, após o 21º dia de infecção pela doença, deverão ser regulados para o ambulatório. Eles passarão por avaliação e iniciarão tratamento caso apresente alguma doença residual (sequelas neurológicas, respiratórias ou motora, por exemplo).

Em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o CER/Apae também desenvolverá pesquisa sobre o processo pós-alta da SARS-Cov-2.

Na próxima semana, a prefeitura vai formalizar o convênio com o Hospital São Julião, para a implantação do segundo ambulatório para atendimento de pacientes com doenças residuais da pós-Covid.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 13 =

Top